Vinhos projetam a Serra de SC

Entre paisagens de campos e araucárias, a Serra Catarinense conta com 35 vinícolas que consolidaram a região como produtora de vinhos de qualidade. Por isso, a Associação Catarinense dos Produtores de Vinhos Finos de Altitude (Acavitis) realiza de 26 a 29 deste mês a segunda vindima, a festa da colheita. O vice-presidente da associação, Ernani Garcia (foto), Médico oftalmologista e vitivinicultor, é um dos que investem com paixão na atividade.

Quais são as expectativas para a vindima deste ano?
Ernani Garcia – É uma oportunidade para a Serra catarinense ampliar o turismo. O vinho, por meio do projeto da Acavitis, traz para o nosso Estado grandes benefícios. Ele projeta as belezas naturais da região que estavam um pouco esquecidas, incluindo municípios como São Joaquim, Urubici, Urupema, Lages, Água Doce e outros. Faltam opções de hotéis e restaurantes. A vitivinicultura chegou nos últimos 15 anos e evoluiu muito, com vinhos e espumantes maravilhosos. Não é mais uma aventura, é um fato, constituiu um conceito de um excelente produto. A Acavitis conseguiu trazer para esse projeto uma filosofia de trabalho mais ou menos parecida desde a seleção de mudas de variedades francesas e italianas até a produção em pequenas vinícolas. Os investidores são empresários dos setores madeireiro, cerâmico, metalúrgico, têxtil, saúde e outros. O futuro será ainda mais promissor.

O que os visitantes vão encontrar na festa deste ano?
Garcia – Uma evolução muito grande em relação à primeira edição. Há mais vinícolas com a estrutura bem preparara para receber os turistas. Além disso, com o apoio do Ministério da Cultura, está sendo possível trazer apresentações de música e dança. A Escola do Ballet Bolshoi vai se apresentar na Vinícola Pericó, um dos locais mais bonitos da região. Vai ter degustação aberta ao público na praça de São Joaquim. Ano passado, as pessoas que foram à vindima se surpreenderam. Este ano será melhor. Os eventos serão em três núcleos: São Joaquim, Campos Novos – Tangará e Água Doce.

O que é necessário para o enoturismo avançar na Serra?
Gracia – Mais infraestrutura hoteleira. Precisamos de um bom hotel que atrairá outros. Falta os empresários acreditarem no ramo da hotelaria porque o negócio do vinho já está sólido e as belezas naturais estão aí. A nossa Serra tem mais belezas naturais do que Gramado e Canela no RS. O governador disse que será criada a rota turística dos vinhos de SC. Ele também está otimista com a futura rodovia Caminhos da Neve, que ligará as serras de SC e RS.

Como o senhor ingressou no mundo do vinho?
Garcia – É um projeto pessoal. Estudei na UFSC e faço Medicina de maneira intensa. Meu pai era camponês e tinha uma pequena distribuidora de bebidas em Biguaçu. Sempre gostei de campo, da música, das paisagens. Quando fui para São Paulo fazer residência em oftalmologia, estudei com filhos de fazendeiros e a gente visitava as fazendas. Voltei para Florianópolis porque aqui não havia ainda estrutura forte para cirurgia oftalmológica. Em 2000 comecei a investir em campo. Comprei área em Campo Belo do Sul, na Serra, para pecuária. Plantei as primerias videiras em 2006.

Como foi a decisão da plantar videiras europeias?
Garcia – Como a terra era fértil e a região tinha baixo IDH, pensei em começar a mudar este perfil econômico, gerar oportunidade de trabalho (são 20 empregos diretos). Como na Medicina a gente sempre cria coisas novas, decidi fazer o mesmo no campo. Busquei parceria com a universidade (UFSC). Convidei o professor Aparecido Silva, experiente em forrageiras e gramíneas, para melhorar as pastagens. Num dia de campo um professor falou que a região poderia ter um vinhedo porque havia muito sol e clima seco. Iniciamos um projeto pequeno com uvas merlot, malbec, cabernet sauvignon e chardonnay. Plantamos em 2006 e fizemos a primeira colheita em 2008. Convidamos o PhD em vinhos da Epagri, Jean Pierre Rosier para fazer microvinhos e ele concluiu que poderíamos apostar no setor. Abrimos a vinícola Abreu Garcia (a marca leva os sobrenomes do casal Janaína Abreu e Ernani Garcia).

O que a Abreu Garcia oferece ao mercado?
Garcia – Temos uma pequena vinícola própria, fazemos seleção manual da uva e focamos qualidade. Já lançamos dois espumantes brut, um branco e outro rosé elaborados pelo método champenoise, um vinho rosé, um sauvignon blanc, um chardonnay e dois tintos, um corte cabernet/merlot e um pinot noir. Abrimos loja exclusiva no centro de Florianópolis, estamos reforçando a comercialização no Brasil e vamos iniciar o enoturismo na vinícola em Campo Belo do Sul.

Vinho aumenta a longevidade?
Garcia – Isso reforçou ainda mais meu empenho pelo setor. Muitos artigos destacaram a influência do vinho no aumento da sobrevida das pessoas. Trabalhos nos EUA mostram que o consumidor de vinho tem menor risco de desenvolver degeneração macular, que é uma doença degenerativa na retina. Cardiologistas recomendam para seus pacientes uma taça após as principais refeições porque melhora o fluxo sanguíneo e o bem-estar. Isso tudo tem a ver com nossos projetos: medicina e vinho.

Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/estelabenetti/2015/03/15/vinhos-projetam-a-serra-de-sc/?topo=67,2,18,,,77

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s