Mostra do Vinho une setor e aponta mobilizações

Urussanga

A IV Mostra do Vinho Catarinense, que aconteceu na quarta-feira (28), na Assembleia Legislativa, reuniu agricultores, vitivinicultores, especialistas e representantes do setor, na divulgação da produção do Estado. Deputados estaduais, secretários municipais e vereadores também participaram das atividades.

Além das três oficinas de degustação e do I Simpósio Desafios da Cadeia Vitivinícola em Santa Catarina, uma solenidade à noite marcou o Dia do Vinho (primeiro domingo de junho) com a abertura simbólica do primeiro barril de vinho produzido no Estado. A atividade foi seguida de degustação de vinhos catarinenses pelos mais de 200 participantes da Mostra.

Um dos principais resultados da Mostra veio do Simpósio realizado durante a tarde, com a participação de lideranças do setor, produtores e especialistas. O debate resultou na formação de uma comissão que, a partir das pautas apresentadas no Simpósio, será encarregada de formar um calendário de ação com as principais demandas da vitivinicultura. “Temos diversas demandas sobre as quais precisamos agir, entre elas, proteger a produção dos agricultores familiares, diminuir impostos para o restante da cadeia produtiva, e investir em divulgação, na cultura do consumo responsável do vinho. E para tudo isso precisamos da união de todos os segmentos da cadeia produtiva”, afirmou o deputado Padre Pedro Baldissera, um dos organizadores da Mostra e autor do projeto que resultou no Dia do Vinho.

O diretor executivo do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Carlos Raimundo Paviani, apontou para a necessidade de criação de uma cultura de consumo responsável do vinho, que valorize a produção nacional. Paviani também destacou a necessidade de proteção da produção de vinhos coloniais e a luta por igualdade tributária. “Nós sofremos com a entrada de produtos importados com imposto mais baixo e também com o contrabando de vinhos, que não pagam qualquer imposto. Para todas estas questões o primeiro passo é unir a cadeia produtiva em torno de objetivos comuns”, observou.

A sommeliére e consultora internacional de vinhos, Adriane Wiest, lembrou da importância de valorizar a produção vitivinícola catarinense e o gradativo aumento na qualidade do produto local. “Nós temos muitos exemplos positivos de vinhos que se destacam fora daqui, mas que não tem a valorização devida dentro do nosso Estado. Precisamos divulgar e valorizar esta produção”, avalia Adriane. Segundo ela, julgadores e consultores de outros países olham para Santa Catarina com interesse, o que mostra a evolução do Estado no setor vitivinícola. “Há 20 anos não se falava em vinho no Brasil, mas agora isso mudou. Precisamos mostrar que o vinho não é algo que envolve classe, ou esnobe, mas que é uma bebida para todas as horas e boa para a saúde”, complementa.

O presidente da Cresol Tangará, Antônio Vian, reafirmou o papel da agricultura familiar na produção vitivinícola e de alimentos, e reforçou a importância da união da cadeia produtiva. “São os trabalhadores da agricultura que produzem a uva e que garantem alimento às cidades. Precisamos valorizar este setor e, ao mesmo tempo, colocar de lado disputas pontuais dentro da cadeia produtiva em nome do interesse de todos”, disse Vian.

Produtores de diversas regiões

A Mostra reuniu vitivinicultores de todas as regiões produtoras do Estado. A família de Naira Marx, de Iporã do Oeste, trabalha há 10 anos na produção vitivinícola e nos últimos anos investiu em aprimoramento. “Nosso principal produto é o vinho, mas já produzimos também suco e ampliamos aos poucos nossa estrutura. Podemos avançar, mas a questão tributária segue sendo significativa”, disse Roberto Junges, de Serra Alta, reitera o protesto contra a carga tributária. “Enfrentamos a falta de fiscalização na produção e os produtos importados, que retiram nosso mercado com um custo baixo em razão dos impostos cujo valor é inferior ao nosso”, explica.

Uma alternativa que várias cidades encontraram para ampliar a visibilidade do vinho é a realização de feiras que, além da bebida, incluem atrativos gastronômicos. Cedenir Carlos Novello, da prefeitura de Pinhalzinho, participou da Mostra para divulgar a 12ª Feira do Vinho, Queijo e Salame, que reúne produtores do município. “O que queremos é garantir um local de comercialização e de contato entre agricultores e vitivinicultores, e consumidores”, destaca.

Fonte: http://www.jinews.com.br/home/ver.php?id=230703

Anúncios

Urussanga participa da 4ª Mostra Catarinense de Vinhos

A sangria do primeiro garrafão de vinho anunciou, oficialmente, a abertura da quarta edição da Mostra de Vinhos Catarinense, que aconteceu nesta quarta-feira, dia 28 de maio, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). Para representar a região Sul do Estado, uma comitiva de Urussanga partiu para a capital, a fim de evidenciar a variedade Goethe, que conquistou em 2011 o selo de Indicação de Procedência Geográfica, e a 15ª edição da Festa do Vinho, que acontece entre 6 e 10 de agosto.

O autor do projeto que resultou na Mostra, deputado Padre Pedro Baldissera, conta que o evento tem como objetivo dar visibilidade a toda cadeira produtiva da uva, unificando a defesa pela bebida. “Dessa forma, evidenciamos o vinho perante a sociedade, mostrando ao Brasil que temos produtos de qualidade, feitos em diversas regiões do Estado. E aí Urussanga se inclui, destacando-se pela excelência na produção da variedade Goehte”, coloca.

Para o presidente da Festa do Vinho, Amarildo de Brida, participar de encontros, mostras e eventos como este só fortalece a ideia de que o município é, sim, referência em vinificação. “Nossa festa está aí para reforçar isso. Se já estamos na 15ª edição é porque temos, história, tradição e qualidade para nos firmar no posto de produtor de exímia qualidade”, enaltece. “Urussanga é e sempre continuará sendo a Capital do Bom Vinho”, complementa o prefeito Johnny Felippe.

Durante o dia, a rainha e as princesas da festa passaram nos gabinetes dos deputados para fazer o convite oficial para o evento. Além disso, a comitiva distribuiu vinhos para degustação, polenta e queijo, elementos tradicionais da gastronomia urussanguense. O chefe de cozinha de Joinville, Augusto Kolling, diz que não conhece os Vales da Uva Goethe, mas que em breve irá até a região. “Já ouvi falar muito bem”, prontifica. “Sou enfático ao dizer que sem vinho, não existe boa gastronomia. E o nosso Estado vem se destacando nessa área. Temos variedades diversificadas e de qualidade, investimento forte na produção, sem falar no movimento pró-vinificação que vem se fortalecendo. O nosso vinho é um diferencial do Estado como destino turístico. O visitante vai à Serra, ao mar, e leva para a casa uma bebida que, quando aberta, traz de volta a brisa catarinense”, diz.

Além das degustações, a Mostra também contou com oficinas e simpósio do setor vinícola durante o dia. Também participaram do evento os municípios de Tangará, Nova Trento, Pinheiro Preto e São Joaquim.

Fonte: http://www.atribunanet.com/noticia/urussanga-participa-da-4a-mostra-catarinense-de-vinhos-102852

Panceri é reconduzido à presidência do Sindivinho

O presidente do Sindicato das Indústrias de Vinho de Santa Catarina (Sindivinho/SC), Celso Panceri, foi reeleito para o cargo em assembleia realizada na noite desta segunda-feira (26), em Pinheiro Preto. Ele cumpre o terceiro mandato consecutivo a frente do sindicato e recebeu votação unânime dos empresários do setor.

Durante o encontro, Panceri falou dos avanços conquistados nos últimos anos pela indústria do vinho catarinense, como a redução de impostos sobre os produtos comercializados e a celebração de convênios de cooperação, além de parcerias com o Sebrae e Fiesc. “Acredito que estamos no caminho certo. A união dos empresários através do sindicato é o melhor caminho para buscarmos melhorias e incentivos à classe”, enfatizou.

O presidente enalteceu também a instalação do Laboratório de Bebidas do Senai (Lateb), que será inaugurado no próximo mês, em Pinheiro Preto. “Esta é uma conquista articulada pelo Sindivinho. O Lateb está entre os quatro melhores laboratórios de análises de bebidas do Brasil e, sem dúvida, o melhor do Estado. Com isso, através de tecnologia de ponta, os fabricantes de vinho terão à sua disposição mais uma ferramenta para a melhoria e análise dos seus produtos”, disse.
Panceri fez ainda um relato sobre a viagem que realizou à Itália, na semana passada, quando assinou um termo de cooperação com o governo italiano para um intercâmbio em tecnologia, conhecimento técnico e turismo na área da uva e do vinho, iniciativa que vai facilitar a troca de informações entre os produtores na busca de avanços para o cultivo de novas variedades da fruta e na elaboração da bebida.

Na sequência da posse, o fiscal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Juliano Siminoni, proferiu palestra sobre a nova lei do vinho, legislação que está sendo colocada em prática em todo país e que vai exigir adequações deste a produção até a venda do vinho e seus derivados nos próximos anos. Ele tirou dúvidas do empresários e falou sobre como o Governo Federal vai agir no acompanhamento dos processos industriais a partir de agora.

PRÓ-VINHO DO BRASIL
Na mesma assembleia, foi também feita a eleição da nova presidência da Associação Pró-Vinho do Brasil, entidade que busca incentivos e recursos para o desenvolvimento de programas e ações voltadas ao vinho brasileiro. A ex-presidente, Iliana Schuler, repassou o cargo para Panceri, assim como tomaram posse os demais integrantes da diretoria da associação.

DIRETORIA 2014-2017

PRESIDENTE
Celso Panceri
Vinícola Panceri
Tangará/SC

VICE PRESIDENTE
Marcelo Luiz Sardagna
Vinícola San Michele
Rodeio/SC

PRIMEIRO SECRETÁRIO
Antonio Farina
Vinícola Farina
Pinheiro Preto/SC

SEGUNDO SECRETÁRIO
Cláudia Megiolaro
Vinícola Megiolaro
Pinheiro Preto/SC

TESOUREIRO
Narciso Romano Zago
Vinícola Natal Zago e Cia
Videira/SC

CONSELHO FISCAL
David Farina
Vinícola Farina
Pinheiro Preto/SC

Hermes José Zago
Vinícola Hermes
Videira/SC

Afonso Laurindo Debortoli
Indústria de Vinhos Salto Veloso
Salto Veloso/SC

João Carlos Randon
Vinhos Randon Ltda
Pinheiro Preto/SC

DELEGAÇÃO CONFEDERATIVA
Edgar Ermídio Piccoli
Piccoli Indústria e Comércio de Vinhos
Pinheiro Preto/SC

Cladir Megiolaro
Vinícola Megiolaro
Pinheiro Preto-SC

Fabrício Zanella
Vinícola Zanella
Pinheiro Preto/SC

Mauricio Carlos Grando
Vinícola Villaggio Grando
Caçador – SC

Fonte: http://www.adjorisc.com.br/jornais/folhadevideira/geral/panceri-e-reconduzido-a-presidencia-do-sindivinho-1.1461778#.U4pMyfldWSo

 

Epagri Videira recebe dois doutores para pesquisas

Com a saída de alguns funcionários da equipe da Epagri de Videira em função do programa de demissão voluntária incentivada, que visa a renovação do quadro de servidores, chegaram em Videira dois novos pesquisadores, com nível de doutorado, que passam a fazer parte dos quadros da empresa.

De acordo com o pesquisador e gerente de pesquisas da Epagri Estação Experimental de Videira, Vinícius Caliari, eles irão constituir uma equipe multidisciplinar para trabalhar especificamente na unidade do município, que é voltada para o cultivo de uva, vinho sucos, espumantes e frutas de caroço, como pêssego, ameixa e caqui.

“Estamos focando o trabalho do novo entomologista, Alexandre Carlos Menezes Netto, na parte dos problemas da margarodes (ou pérola-da-terra), que causam declínio da videira e afeta muito nossas plantações, assim como nas pragas da uva, vespas e abelhas. Já o fitotecnista, André Luiz Kulkamp de Souza, vai agregar novas técnicas, enxertos e estudar formas de melhoramento no cultivo de frutas de caroço. Vai auxiliar também em um novo projeto que temos em parceria com a Itália e Alemanha, o qual consiste em avaliar variedades resistentes a doenças da videira, que comprometem a qualidade da uva, tanto para mesa quanto para a produção de vinhos”, explica Caliari.

O gerente de pesquisas conta que para se integrar a equipe, os dois doutores passaram no concurso público e fizeram um pré-treinamento em Florianópolis, na sede da Epagri, depois realizaram mais um curso teórico em Itajaí. Há três semanas os dois estão em Videira, onde permanecerão em estágio probatório até o dia 15 de junho, quando, se aprovados, assumirão definitivamente os cargos. “Pelo que avaliamos nos primeiros trabalhos executados por eles, sua metodologia e desempenho, é quase certo que irão permanecer nos cargos”, aponta.

OS PESQUISADORES
André Luiz Kulkamp de Souza é natural de Pinheiro Preto, porém, sua família mora em Videira há alguns anos. Ele fez sua graduação, mestrado e doutorado em fitotecnia na Universidade Federal de Pelotas – RS. “Passei 12 anos longe de Videira, buscando me qualificar e me aperfeiçoar, agora estou voltando para cá, podendo ficar próximo de meus familiares”, conta.

Alexandre Carlos Menezes é natural de Mossoró – RN, onde passou boa parte de sua vida e se formou em agronomia. Após se graduar, ele se mudou para Jabuticabal, interior de São Paulo, onde fez mestrado e doutorado na Universidade Estadual Paulista (Unesp), sendo que parte do doutorado foi concluído no Japão.

“A ideia é que com os trabalhos desenvolvidos por todos da equipe, haja uma junção desse conhecimento gerado para encontrar soluções aos agricultores, pois eles tem necessidade de resposta o tempo todo, as coisas vão mudando, os desafios vão mudando e eles precisam de respostas. Precisamos pensar na cadeia produtiva como um todo, inclusive na parte mercadológica. Dentro do controle de pragas, temos alguns tipos que há muito tempo causam problemas para os produtores, teremos que fazer todo um trabalho pensando no sistema do produtor videirense”, explica Alexandre.
André ressalta a importância da Epagri a nível nacional e destaca a infraestrutura oferecida no seu ambiente de trabalho. “Das empresas de pesquisa que existem a nível Estadual, a Epagri é referência nacional, nas condições que encontramos aqui, tanto de estrutura como de pesquisas e extensão. Temos um colega em cada município do Estado, dando uma condição de trabalho bem diferente de outras empresas. Como sou natural de Pinheiro Preto pude acompanhar o melhoramento da empresa em questão de infraestrutura então hoje analiso que temos condições de trabalho perfeitas, laboratórios, salas individuais com ar condicionado, área experimental com várias opções de aumento de área, entre outros”, afirma o fitotecnista.

Alexandre destaca o principal diferencial da empresa, o fato de possuir o setor de pesquisa e extensão juntos. “Normalmente, em outras regiões do país, existe uma empresa de pesquisa e outra de extensão, que geralmente não se comunicam, dificultando o trabalho. A Epagri tem esta vantagem de aliar as duas vertentes, tornando indiscutível o papel e importância da empresa no Estado, que já é incontestável, passando a ter repercussão em todo o Brasil”, ressalta o entomologista.

A ESTAÇÃO EXPERIMENTAL
Com o intuito de contribuir com o crescimento e fortalecimento na produção da vitivinicultura da região, o Governo Federal instalou em 6 de dezembro de 1936, em Videira, a Estação Experimental da Viticultura, Enologia e Frutas de clima temperado. Com o passar dos anos, o espaço foi modernizado e ainda contribui de forma ativa com os trabalhos de melhoria dos produtos por aqui cultivados, em especial, a uva, o vinho e as frutas de caroço.

Nestes 77 anos, esta estrutura tem desenvolvido suas atividades de pesquisa com fruteiras de clima temperado, com uma maior ênfase na vitivinicultura, onde tem participado de treinamentos para técnicos e fruticultores de todo o Estado e de outros lugares produtores do Brasil.

Desde 1982, para melhor racionalização dos trabalhos e atender as necessidades da realidade socioeconômica da vitivinicultura catarinense, trabalhos de pesquisa vem concentrando maiores esforços na área de uva e vinho e nas chamadas fruteiras diversas (pêssego, ameixa, quivi, caqui, amora e outras).

A Estação Experimental conta hoje com uma área de 140 hectares, onde estão instalados vinhedos e pomares, além de uma Cantina Modelo, fundada em 1985. Caliari conta que a cantina está em processo de reforma estrutural, a qual está orçada em torno de R$ 550 mil na primeira fase, e mais R$ 550 em equipamentos para a vinícola, como a autoclave para fermentação de espumantes, filtros isobáricos, algumas barricas de carvalho de menor tamanho, para serem avaliadas espécies de menor tamanho.

A novidade é que nesta reforma está inclusa a instalação de uma usina de sucos para escala piloto. “Após observarmos o potencial vocacional da região do Vale do Rio do Peixe para a área do cultivo de uvas para sucos e espumantes resolvemos apostar neste novo investimento”, afirma o gerente de pesquisas da Epagri.

O laboratório de Enologia é único no Estado e um dos mais modernos do país, espaço que possibilita a realização de análises de bebidas derivadas da uva e vinagres para os produtores locais e, principalmente, fornecer embasamento científico para os experimentos do grupo de 9 pesquisadores que lá atuam. O quadro de funcionários é de 40 pessoas distribuídas entre agentes administrativos, técnicos de laboratório, técnicos agrícolas, enólogos, operários rurais e pesquisadores.

Outros laboratórios e serviços também estão disponíveis Estação Experimental de Videira, como os fitopatológico, entomológico, microbiológico e biologia molecular com análises de marcadores moleculares e diagnose e identificação de microrganismos.

Na última safra foram produzidas 250 microvinificações (vinhos diferentes), com volumes que podem ser de 6 litros até 250 litros de vinho, foram produzidos vinhos para o Ministério da Agricultura, bem como projetos de pesquisa, onde são avaliados muitas variedades de uvas para verificar o potencial imunológico de cada uma.

Fonte: http://www.adjorisc.com.br/jornais/folhadevideira/geral/epagri-videira-recebe-dois-doutores-para-pesquisas-1.1461298#.U4PaMvldWSo

IV MOSTRA DO VINHO CATARINENSE – Oficina 3: Conhecendo as Técnicas de Elaboração e as Características dos Vinhos Catarinenses

Em abril, publiquei um post falando sobre a IV MOSTRA DO VINHO CATARINENSE, que ocorrerá na Assembléia Legislativa de Florianópolis no dia 28/maio.

Durante o evento, haverá um curso gratuito, aberto ao público, entitulado “Conhecendo as Técnicas de Elaboração e as Características dos Vinhos Catarinenses”.

Aos interessados, as inscrições podem ser feitas diretamente no site da Assembléia, no link abaixo:

http://www.alesc.sc.gov.br/escola_legislativo/school/school_main_info.php?CodEvento=718

Bom curso!! Abraço, Luiz Ricardo

 

VILLA FRANCIONI VENCE TOP OF MIND PELO TERCEIRO ANO CONSECUTIVO

DSC_0019

A vinícola Villa Francioni, que produz vinhos finos de altitude em São Joaquim na serra catarinense, comemora novamente a conquista do Prêmio Top Of Mind – Top Executivo na Categoria: Vinícola, pelo terceiro ano consecutivo.

O Prêmio tradicional no estado é realizado pelo jornal do Grupo RBS “A Notícia” e o Instituto Mapa. Foram ouvidos mais de 150 diretores de empresas das principais forças econômicas com atuação em Santa Catarina.

A Villa Francioni foi fundada em 2001 e produz mais de 200 mil garrafas por ano. A presidente do conselho da Villa Francioni, Daniela Borges de Freitas, recebeu o prêmio na Fiesc, em Florianópolis. Segundo a presidente, a empresa vivenciou um ano de crescimento consistente, atingindo mercados estratégicos, contribuindo desta forma para fortalecendo da marca que conquista mais um prêmio importante para sua história.

Fonte: Assessoria de Imprensa

JANTAR HARMONIZADO DA VILLA FRANCIONI NA CANTINA SANGIOVESE

sangiovese_MG_3742 copy   FRANCESCO 2008

O evento acontece nesta terça-feira, dia 13 de maio, a partir das 20 horas. As reservas são limitadas.

A vinícola Villa Francioni, referência na produção de vinhos de altitude, apresentará seus rótulos durante jantar na Cantina Sangiovese, instalada no charmoso bairro histórico de Santo Antonio de Lisboa na capital Florianópolis, nesta terça-feira, 13 de maio.

O menu preparado especialmente pelo premiado chef Helton Costa será harmonizado com 4 vinhos produzidos pela vinícola catarinense. Além do espumante Joaquim, serão degustados os vinhos – VF Rosé, VF Francesco e o vinho de sobremesa, VF Licoroso Tinto. Os rótulos acompanham a salada caprese, lombo de peixe fresco grelhado com camarão tigre sobre purê de batata doce trufada, além de sorrentino de brie com nozes ao pomodoro e azeitonas pretas, a sobremesa será nectarina ao forno com calda de maracujá com sorvete de baunilha. Os vinhos serão apresentados pelo distribuidor Fernando Araújo, da Santa Adega.

Hoje a vinícola produz mais de 150 mil garrafas por ano. Ao longo de mais de dez anos, a empresa vem colecionando prêmios, e conquistando a cada dia os paladares mais exigentes. As reservas limitadas podem ser feitas pelo telefone: (48) 33711200. O valor por pessoa é de R$ 120,00.

JANTAR HARMONIZADO
Data: 13/05
Horário: 20 horas
Local: Rua Padre Lourenço de Andrade, 496
Santo Antonio de Lisboa – Florianópolis
Reservas: (48) 33711200

Fonte: Assessoria de Imprensa