Grupo RBS tenta adquirir o site Compre Vinhos

Depois de seis meses de vigência, o contrato entre o empresário Rafael Zardo e o técnico do Fluminense Vanderlei Luxemburgo chega ao fim no domingo (25) e marca uma nova fase para a Compre Vinhos, o maior e-commerce de bebidas da região sul, com 90% de suas vendas concentradas no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. O site, que nasceu com a filosofia de vender rótulos muito bons e mais baratos que a média do mercado brasileiro, chamou a atenção de três grupos de investidores – entre eles a RBS. Maior grupo de comunicação regional do país, a RBS é sócia da Wine, o maior clube de vinhos do Brasil com mais de 22 mil sócios e faturamento estimado em R$ 60 milhões.

Na semana passada, Zardo foi recebido pelo CEO do grupo de comunicação, Eduardo Melzer, em Porto Alegre. A conversa girou em torno de uma possível fusão entre ambas, mas é provável que a negociação também termine na aquisição da Compre Vinhos. Não foi a primeira investida da RBS na aquisição do site que atraiu o interesse de Luxemburgo quando treinava o Grêmio. No dia 18 de março, data do lançamento do site em Porto Alegre, o próprio Eduardo Melzer fez uma proposta inicial que não foi aceita por nenhum dos dois sócios. Procurada pelo portal AMANHÃ, a RBS afirma não estar em negociação com a Compre Vinhos.

Zardo quer continuar no negócio e por isso cogita vender apenas metade do empreendimento cujo valor está estipulado em R$ 10 milhões. Quem está à frente na briga é um grupo de investidores que reúne empresários paulistas, gaúchos e catarinenses. O negócio deverá ser fechado até a próxima semana. Sintomaticamente, no último final de semana o site da Compre Vinhos estava fora do ar, passando por uma auditoria encomendada pelo grupo. O objetivo dos investidores é usar a exposição da marca Compre Vinhos, que cresceu muito com a figura de Vanderlei Luxemburgo, para competir diretamente com a Wine. A razão da cobiça é a grande rentabilidade. No caso da Compre Vinhos, a margem de lucro tem ficado em 70%, na média. Embora tentador, esse ganho ainda pode ser visto como moderado na comparação com as margens que são praticadas no mercado de importação de vinhos, segmento em que a diferença entre o que se paga no Brasil e o custo da garrafa na origem pode chegar a 300%. “Uma das propostas vem de um encontro a um desejo meu que é tornar o site o maior do Brasil em sua categoria”, antecipa Rafael Zardo.

Entre outras razões para o término do contrato entre Luxemburgo e Zardo está o distanciamento do técnico carioca do negócio. Depois que foi demitido do Grêmio, no final de junho, Luxemburgo deixou de fazer um novo investimento para aquisição de novos lotes de vinhos – impondo dificuldades para o para o giro de estoque do site. O treinador também abandonou os projetos de lançamento da marca em São Paulo, no Rio de Janeiro e no Nordeste – algumas delas programadas para este segundo semestre. O estudo da abertura de três lojas físicas que funcionariam ao estilo bistrô em Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro também foi abandonado. “O foco dele é futebol. Havia dificuldade em conciliar agendas para tratar de temas próprios de um negócio que está começando”, conta Zardo. Na época, Luxemburgo investiu R$ 1 milhão no negócio. Tendo em vista a grande lucratividade alcançada pela comercialização de vinhos no Brasil, Luxemburgo, em apenas seis meses, pode ter recuperado o aporte que foi feito.

Fonte: http://www.amanha.com.br/home-internas/5261-grupo-rbs-tenta-adquirir-o-site-compre-vinhos

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s