Fortalecer o cultivo de uvas e a produção de vinho em SC é tema de encontro em São Joaquim

Para fortalecer a vitivinicultura em Santa Catarina e tratar de temas que interessam ao setor, o Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural (Cederural) reunirá os membros da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Uva e do Vinho em São Joaquim nesta sexta-feira, 21. O encontro contará com a presença do secretário de Estado da Agricultura e da Pesca e presidente do Cederural, Airton Spies, e será às 13h30 na sede da Secretaria de Desenvolvimento Regional de São Joaquim.

Na pauta da reunião consta a apresentação do grupo gestor do Projeto de Modernização da Vitivinicultura (Modervits), ação que visa melhorar o padrão de qualidade da uva e das tecnologias utilizadas na produção de sucos e vinhos em Santa Catarina. O Modervits será executado pela Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O Programa é destinado aos três estados do Sul e em Santa Catarina os municípios  beneficiados serão: Pinheiro Preto, Videira, Iomerê e Rio das Antas.

Santa Catarina é o quinto maior produtor nacional de uva, com uma produção de aproximadamente 53 mil toneladas em 2013. A maior parte da área plantada no estado concentra-se no Alto Vale do Rio do Peixe, com destaque para os municípios de Videira e Tangará, mas a maior produção de vinhos está no município de Pinheiro Preto. A produção de vinhos em Santa Catarina se concentra em vinhos comuns, porém de 2009 a 2013 houve um crescimento de 57% na produção de vinhos finos, principalmente nas regiões de altitude. No mesmo período a produção estadual de suco de uva também aumentou 89%.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 8843-4996
http://www.agricultura.sc.gov.br

 

Vínho de SC em destaque: Produção vinícola de Santa Catarina já é uma das melhores do mundo e vendas crescem

O faturamento das principais vinícolas de Santa Catarina dão o tom do sucesso dos produtos que cada dia prospectam vendas no país e até no exterior. O otimismo é resultado da qualidade, eficiência na produção e tecnologia avançada. As áreas de plantio também são excelentes para que haja estes bons resultados.

A Villa Francioni, em São Joaquim, na Serra Catarinense, por exemplo, projeta um crescimento no faturamento na ordem de 18,2% em relação a 2014. Os destaques são para os espumantes brancos e rosés devido a chegada das festas de final de ano.

A outra vinícola de sucesso é a Villagio Grando, de Água Doce, na região do Meio Oeste Catarinense que vem destacando-se na produção de espumantes. Outro destaque na região da Serra Catarinense é a Pericó Vinhos, cujos recentes lançamentos foram grandes atrações no mercado.

Com toda esta dedicação no setor, os produtos vinícolas de primeira linha de produção e de alta qualidade já são considerados um dos melhores do mundo.

Fonte: http://destaquecatarina.com.br/noticias/economia/4493/vinho-de-sc-em-destaque

Gastronômade com programação até Dezembro/2014

Em seu terceiro ano de atividade, Gastronômade Brasil tem recorde de público e se consolida como um dos eventos mais badalados da alta gastronomia no país. O “restaurante sem paredes” fecha o ano com a turnê especial “Vinícolas” que passará por duas grandes vinícolas nacionais e uma no Uruguai.

O Gastronômade Brasil é uma verdadeira vitrine itinerante da sustentabilidade, conectando gastronomia de qualidade, gourmands e produtores locais. Inspirado no conceito do famoso festival gastronômico norte-americano Outstanding in the Field, o grupo monta banquetes sustentáveis a céu aberto em grandes mesas coletivas, reunindo centenas de consumidores gourmets modernos, elegantes e descontraídos que fazem questão de comida saudável e que aderem com muito entusiamo a experiência gastronômica oferecida nos eventos. “é emocionante ver produtores e consumidores sentados lado a lado, conversando e trocando experiências. Trata-se do fortalecimento do vínculo entre o início e o final da cadeia alimentar , usando os chefs como o elo desta união” -declara Renata Runge, fundadora do projeto no Brasil.

Esta é a primeira vez que o evento aterissa em terras estrangeiras. A espetacular propriedade de cultivo de oliveiras, Colinas de Garzón (Uruguai), foi o local escolhido para o debut. “ Queremos que o publico do Gastronômade conheça as origens de um azeite de oliva uruguaio que vem ganhando importantes prêmios internacionais. Eles poderão ver 700 hectares de oliveiras plantadas e experimentarem uma imersão no mundo maravilhoso da oliva.” – completa Renata. A chef Lucia Soria, que já trabalhou com Francis Mallmann e Paola Carosella, comandará o banquete repleto de produtos do terroir harmonizado com vinhos e espumantes da vinícola sede, a Bodega Garzón.

Realizados em locais de beleza natural extravagante, o evento busca unir o melhor da gastronomia local com paisagens espetaculares, proporcionando aos participantes a oportunidade de sair da agitação dos centros urbanos, de curtir paisagens deslumbrantes, de conhecer produtos locais e pessoas interessantes.

A gastronomia nômade proposta  pelo grupo tem sempre dois ingredientes fundamentais: produtores regionais focados em insumos de alta qualidade e chefs que priorizem o terroir em suas cozinhas. “Num mundo cada vez mais voltado a sustentabilidade, comida, historia e meio ambiente estão mais interligados do que nunca.” – comenta Renata.

Serviço:

Os ingressos para os eventos serão vendidos em 3 lotes ( R$ 255 Lote 1, R$ 275 Lote 2 e R$ 295 Lote 3) e podem ser adquiridos através do site http://www.gastronomadebrasil.com

Inclui harmonização completa & serviço. Transfer & Hospedagem são itens opcionais.

Etapa Paraná – Santa Catarina

Data: 23 de novembro de 2014 - 13:00 hs
Local: Vinícola Villaggio Grando
End.: Rod. SC 451, km 56 - Água Doce -SC
Chef: Manu Buffara ( Restaurante Manu – Curitiba)
Produtores convidados: Coco do Vale, Verde Brasil Alimentos Orgânicos ,Café do Mercado e Xok’s. Ingressos ESGOTADOS

Etapa Uruguay

Data: 29 de novembro de 2014 - 13:00 hs
Local: Colinas de Garzón | Agroland S.A.
End.: Ruta (Rodovia) 9 – Km. 175 | Maldonado, Uruguay

Chef: Lucia Soria ( Restaurante Lucifer e Restaurante Jacinto)

Produtores convidados: Bodega Garzón ( vinhos) e Colinas de Garzón ( azeite de oliva)

Etapa Rio Grande do Sul

Data: 06 de dezembro de 2014 - 13:00 hs
Local: Aurora Pinto Bandeira
End.: Linha 28 – 1150 – Pinto Bandeira – RS

Chef: Arika Messa

Produtores convidados: Coco do Vale, Vinicola Aurora, Uva’Só Produtos Orgânicos e Café do Mercado.

Ingressos ESGOTADOS

 

Fonte: Assessoria de Imprensa

Governo de Santa Catarina apoia pesquisa para produção de vinho licoroso no Estado

Um novo processo para produção de vinho licoroso foi desenvolvido pela Vinícola Panceri, com sede em Tangará, em parceria com a EPAGRI (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina). O projeto foi executado de 2010 até o fim de 2012 e recebeu financiamento da FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina).

O objetivo do projeto era desenvolver tecnologia para desidratação de uvas a frio, em ambiente controlado, criando condições semelhantes ao processo natural que ocorre em regiões de nevasca. Existem outros métodos de produção de vinhos licorosos, e esse processo foi patenteado pela equipe.

A EPAGRI participou do projeto nas etapas científicas, com análises fisico-químicas, avaliação da qualidade dos produtos no desenvolvimento do relatório final.

A diferença entre o vinho licoroso e um vinho fino “normal” ou tradicional é seu teor alcoólico superior a 14%. O vinho fino possui teor alcoólico entre 8 e 14%. “Para que o vinho licoroso alcance teor alcoólico superior a 14% vol., as uvas passaram por um processo de desidratação, o que causa a perda de água e concentração dos açúcares da uva, assim, havendo maiores teores alcoólicos durante a fermentação”, diz Carolina Panceri, filha dos donos da vinícola e tecnóloga em viticultura e enologia. O vinho licoroso deve ser consumido como aperitivo ou sobremesa, em pequenas doses.

Ainda serão realizados testes para adequação do produto ao mercado consumidor, e a avaliação do período de guarda está em andamento para que o produto tenha o prazo adequado de consumo. Também estão sendo desenvolvidos estudos de design e marketing para inserção do vinho licoroso no mercado, já que se trata de um produto inédito.

Segundo Vinicius Caliari, pesquisador e gerente de pesquisas da EPAGRI Estação Experimental de Videira, “este projeto foi importante para o desenvolvimento do setor vinícola do nosso estado, que irá trazer divisas econômicas para SC e ainda fortalece o enoturismo e divulga o estado como local de inovação tecnológica”.

Fonte: Jéssica Trombini – FAPESC / Portal da Ilha

VINHOS BRASILEIROS CHEGAM AO TERCEIRO EVENTO EM LONDRES EM DOIS MESES

Treze vinícolas do Wines of Brasil, projeto setorial realizado pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), participam nesta quinta-feira (23) da terceira edição do FIZZ – The Sparkling Wine Show, evento que mostrará apenas vinhos espumantes aos profissionais do setor e à imprensa em Londres, na Inglaterra.

A ação para divulgar os vinhos brasileiros encerra uma série de três participações do Wines of Brasil no Reino Unido nos meses de setembro e outubro. Em janeiro deste ano, aquele grupo de países assumiu a liderança na importação de rótulos brasileiros. Em dezembro de 2013, o Reino Unido ocupava a sexta posição.

Atualmente, o bloco absorve 23% do total comercializado para o exterior pelas vinícolas integrantes do projeto Wines of Brasil, totalizando US$ 1.794.389, de janeiro a setembro de 2014. O valor representa um crescimento de 641% em relação ao mesmo período do ano passado.

No dia 3 de setembro, rótulos de 14 vinícolas foram apresentados em uma masterclass para 40 pessoas no Emerging Regions Tasting. Foi a 1ª vez que o Wines of Brasil participou deste evento, que contou com a participação das principais regiões emergentes do mundo do vinho.

No dia 24 de setembro, foi a vez do Sitt Autumn, com público formado por importantes varejistas independentes, importadores, distribuidores e restaurantes, além da imprensa especializada. A mesa brasileira contou com vinhos de 15 empresas.

Rótulos participantes

Fizz – The Sparkling Wine Show (23 de outubro): Salton Intenso, Miolo Cuvée Brut Rosé, Casa Valduga Arte Brut, Pizzato Rosé, Amadeu Brut, Campos de Cima Extra Brut, Peterlongo Brut, Joaquim Rosé, Don Guerino Chardonnay Brut, Amaze Muscat, I Heart Brasil, Monte Paschoal Moscatel e Aurora Moscato Rosé.

Sitt Autumn (24 de setembro): Garibaldi Amaze Moscato, Miolo Brut Millésime, Campos de Cima Brut, Villa Francioni VF Rosé, Aurora Chardonnay, Don Guerino Moscato, Lidio Carraro Chardonnay, Pizzato Legno Chardonnay, Sanjo Nobrese Moscato, Basso Virtus Merlot, Casa Valduga Raízes Cab Sauvignon, Luiz Argenta Cabernet Sauvignon, Macaw Tannat, Salton Tannat, Rio Sol (Cab Sauvignon/Syrah).

Emerging Regions Tasting (3 de setembro): Basso Moscato, Villa Francioni Aparados white Chardonnay/Sauvignon Blanc, Luiz Argenta Chardonnay, Macaw Moscato, Perini, Sanjo Sauv Blanc, Aurora Brazilian Soul Merlot, Don Guerino Merlot Reserva, Pizzato Fausto Tannat, Salton Cabernet Franc, Dádivas Pinot Noir, Vini Brasil Rio Sol Rosé, Campos de Cima Extra Brut, Casa Valduga Arte Brut, Garibaldi Amaze Sparkling Moscato, Pizzato Rosé Traditional Method.

Fonte: Apex-Brasil

Programa para modernizar a vitivinicultura será apresentado em Santa Catarina

Promover a competitividade do setor vitivinícola por meio da renovação de vinhedos e da estrutura física das empresas nos tradicionais polos de produção são alguns dos objetivos do Programa de Modernização da Vitivinicultura (Modervitis). A estrutura e a operacionalização do Programa serão apresentadas a produtores, representantes da indústria e demais segmentos da cadeia produtiva vitivinícola de Santa Catarina na manhã da próxima sexta-feira, dia 17, no Auditório do Instituto Federal Catarinense (IFC), em Videira (SC).

Proposto pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), no âmbito do Plano Brasil Maior, o Modervitis foi criado para combater a defasagem tecnológica na produção da uva, em especial para a produção de vinho de mesa e suco, assim como no processamento por parte de empresas vinícolas instaladas nos polos mais tradicionais de vitivinicultura da Região Sul do Brasil.

Segundo José Fernando da Silva Protas, coordenador do Modervitis e pesquisador da Embrapa Uva e Vinho, apresentar o papel de cada entidade envolvida e esclarecer como irá funcionar o Programa são etapas fundamentais para a adesão dos vitivinicultores. “Já realizamos o Workshop de articulação setorial no Rio Grande do Sul e o resultado foi muito positivo. Como o Modervitis é bastante abrangente, envolvendo diversos ministérios e instituições de governo (BNDES, BRDE, CONAB), que promoverão ações que vão desde assistência técnica até o estabelecimento de linhas de créditos específicas para o Programa, esclarecer como será o seu funcionamento facilitará o acesso do Programa aos potenciais beneficiários”, avalia.

O evento será mediado pelo Diretor-Executivo do Ibravin, Carlos Paviani, e terá como primeira palestra a apresentação dos aspectos estruturais e operacionais do Programa, com o coordenador do Modervitis. Na sequência, estão previstas palestras de representantes das instituições parceiras do programa: Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES); Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC); do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA); do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA); do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI); e Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Após as palestras, haverá um espaço para debates.

Aberto ao público, o evento é promovido pelo Ibravin, Embrapa Uva e Vinho, Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca de Santa Catarina (SAR), Câmara Setorial da Uva e do Vinho de Santa Catarina e Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural (Cederural).

Serviço:

O que: Workshop de Articulação Setorial do Modervitis em Santa Catarina

Onde: Auditório do Instituto Federal Catarinense (IFC) – Rodovia SC 135, km 125 – Campo Experimental – Videira – SC

Quando: 17 de outubro, das 09h às 12h

Quanto: Entrada gratuita

Programação:

Mediação: Carlos Raimundo Paviani – Diretor Executivo do Ibravin.

9h – Abertura (Lideranças Setorial e Autoridades).

9h30 – Palestra: O Modervitis: Aspectos Estruturais e Operacionais do Programa – Dr. José Fernando da Silva Protas – Embrapa Uva e Vinho.

Painelistas:

10h15 – O papel do BNDES no plano operacional do Modervitis – Dr. Luiz Gustavo Bredas

10h30 – O Papel do MDIC no plano operacional do Modervitis – Dr. Luiz Fernando da Silva

10h45 – O papel da MDA no plano operacional do Modervitis – Dr. Manoel Mendonça

11h00 – O papel do MAPA no plano operacional do Modervitis – Dr. João Salomão

11h15 – O Papel do MCTI no plano operacional do Modervitis – Dr. Jorge Campagnolo

11h30 – O papel da CONAB no plano operacional do Modervitis – Dr. Paulo Morcelli

11h45 – Debates

12h – Encerramento

 

Fonte: http://www.grupocultivar.com.br/site/content/noticias/?q=41394